Notícias

Voltar
Postado em: 25/07/2018 - 16h10 | Redação

Mulheres químicas em Curitiba

Um grupo de mulheres químicas chegou hoje (25) a Curitiba, à sede da Policia Federal, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está em custódia como preso político. O acampamento está montado desde o dia 7 de abril, quando Lula foi preso.  Desde então trabalhadores de todo o país protestam no local e se revezam mantendo a mobilização ativa. O acampamento está prestes a completar quatro meses (em 7 de agosto).

Em 20 de julho, trabalhadores do Rio de Janeiro e São Paulo se reuniram na quadra dos bancários para discutir a atual conjuntura política e econômica e a organização do Dia do Bata (em 10 de agosto).  Na ocasião, Vagner Freitas, presidente da CUT lembrou que a eleição deste ano é a oportunidade de anular as “mazelas” do governo Temer. “Lula já disse que, se eleito anulará a reforma trabalhista, e ele é o único candidato que reúne condições para fazer isso”, disse Freitas. 

A presidenta do PT, senadora Gleise Hofmann reafirmou que Lula é o candidato do PT. “Os adversáros de Lula sabem que perdem na urna para ele. Por isso ele continua preso”, concluiu.