Notícias

Voltar
Postado em: 19/04/2018 - 15h44 | Redação

Juíza veta visita de Esquivel a Lula

O ativista argentino Adolfo Pérez Esquivel, prêmio Nobel da Paz, não conseguiu visitar o ex-presidente Lula, nesta quinta-feira (19). Ele está em Curitiba junto com o teólogo Leonardo Boff e ambos tiveram a visita negada pela Justiça.

“É preocupante essa conduta, porque Esquivel é apenas a primeira de muitas visitas internacionais que irão ocorrer ao ex-presidente Lula, como estadista. Sem contar o caráter de perversidade”. diz a advogada Tânia Mandarino, que presta apoio jurídico a Esquivel no Brasil.  Tânia disse ainda: “Pela sua relação de aconselhamento espiritual com Lula, o Leonardo Boff deveria ter, inclusive, sua entrada franqueada. É lamentável.”                                                                                   

A advogada viu componentes de sadismo na conduta da juíza Carolina Lebbos “que  respondeu sadicamente aos embargos e não comentou sobre o pedido de visitas. Disse que não há urgência e, resumindo, ‘problema do Esquivel se ele está só de passagem’.”                 

Ao conversar diretamente com a Superintendência da PF, o ativista argentino teve o acesso mais uma vez negado. “Vamos ter de esperar se até amanhã (quando volta à Argentina) para ver se sai a autorização. Espero poder encontrar o Lula, abraçá-lo e levar-lhe toda a solidariedade internacional que temos recebido, de Portugal, Alemanha, França, Noruega, e vários países”, disse Esquivel.          

“Eu que sou velho amigo de Lula vim em uma missão espiritual. Como uma lei divina pode ser negada por uma juíza terrena?”, provocou Leonardo Boff. O teólogo afirmou que o Brasil atual é uma nau sem rumo, e que Lula é o único que “brilha” aos  olhos do povo com poder de reverter as “iniquidades” cometidas pelo governo Temer. 

*Com informações da Rede Brasil Atual