Conjunturas Setoriais

Postado em: 02/06/2017 - 11h21 | Valor Econômico, 23/05/2017

Químico

Fusão de US$ 20 bi une Clariant e Huntsman

A suíça Clariant, uma das maiores fabricantes mundiais de especialidades químicas, e a americana Huntsman anunciaram ontem que vão combinar suas operações, em uma "fusão entre iguais", que dará origem a uma nova empresa avaliada em US$ 20 bilhões, considerando-se também a dívida líquida ("enterprise value"). Informações sobre a operação circularam no fim de semana e, no domingo, agências internacionais já davam o negócio como certo.

A indústria química global vive um momento intenso no que se refere a fusões e aquisições. Para a consultoria A.T. Kearney, o volume de operações dessa natureza caminha para novo recorde em 2017, com mais de US$ 300 bilhões já previstos. Dentre as operações que devem se concretizar ainda neste ano, quatro representam cerca de 75% do valor total já anunciado. São megaoperações avaliadas entre US$ 40 bilhões e US$ 70 bilhões cada: a fusão Dow DuPont, a compra da Monsanto pela Bayer, ChemChina e Syngenta e Praxair e Linde.

Em comunicado conjunto, a Clariant e a Huntsman informaram que a assinatura de um acordo definitivo de fusão já foi aprovada por unanimidade pelos respectivos conselhos de administração. A nova empresa se chamará Huntsman Clariant e, com base em informações financeiras do ano passado, nascerá com vendas globais de US$ 13,2 bilhões e resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de US$ 2,3 bilhões.

Segundo as empresas, a combinação das operações possibilitará crescimento significativo em mercados mais rentáveis e geração de valor de mais de US$ 3,5 bilhões, diante de sinergia anual de custos da ordem de US$ 400 milhões, a ser capturada integralmente em dois anos a partir do fechamento da operação.

"A sinergia estimada representa aproximadamente 3% das receitas totais combinadas em 2016, com custo não recorrente de até US$ 500 milhões", diz o comunicado. A expectativa é de fechamento do negócio até o fim deste ano. A planejada oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do negócio de aditivos e pigmentos à base de dióxido de titânio da Huntsman, a Venator Materials, será mantida, conforme as empresas.

A nova companhia terá sede na Suíça e conselho de administração com o mesmo número de representantes da Clariant e Huntsman. Hariolf Kottmann, atual executivo-chefe da Clariant, deve ser nomeado à presidência do conselho de administração da Huntsman Clariant e Peter Huntsman, hoje presidente da Huntsman, será o executivo-chefe da empresa resultante da fusão, que será listada na Suíça e em Nova York.

Tanto a Clariant quanto a Huntsman têm operações no Brasil. A companhia suíça tem unidades produtivas em Suzano (SP), Jacareí (SP), Vitória da Conquista (BA) e Niterói (RJ), e emprega 1,2 mil pessoas no país. A Huntsman, por sua vez, tem fábrica em Taboão da Serra (SP).