Conjunturas Setoriais

Postado em: 21/08/2017 - 14h41 | Valor Econômico, 03/08/2017

Químico

Avon reverte lucro e tem prejuízo de US$ 45,5 milhões no 2º trimestre

A fabricante de cosméticos americana Avon informou prejuízo de US$ 45,5 milhões no segundo trimestre de 2017, revertendo lucro de US$ 33 milhões obtido no mesmo período do calendário anterior.

A receita da empresa recuou 3,3% de abril a junho, para US$ 1,35 bilhão, na comparação anual.

“O desempenho do segundo trimestre caiu abaixo de nossas expectativas em relação a um trimestre forte no ano passado. Conforme indicado anteriormente, esperamos que o segundo semestre produza um desempenho mais forte com base em nossos valiosos planos de inovação de produtos e outras iniciativas para aumentar a atividade representativa”, disse Sheri McCoy, presidente da Avon.

No Brasil, a empresa afirmou que as receitas avançaram 7%, beneficiadas por ganhos cambiais, que compensaram a queda no número de consultoras ativas. As operações no país também sofreram com aumento das despesas com dívida.

A margem operacional da companhia recuou 4,3 pontos percentuais no período, para 2,3%, afetada por contingências relacionadas a planos de pensão fora dos Estados Unidos e custos de implantação de um programa de reestruturação.

Diante da pressão de investidores ativistas, como Barington Capital Group e NuOrion Partners, que criticam a companhia pela lentidão no processo de recuperação operacional, Sheri McCoy deve renunciar em março.

Uma das maiores empresas de venda direta do mundo, a Avon está perdendo muitas de suas representantes por não conseguir modernizar seus produtos e capitalizar a influência da internet nos hábitos de compra. No trimestre mais recente, as representantes ativas caíram 3% em todos os segmentos da companhia e a média de pedidos recuou 1%.

A companhia de beleza prometeu recuperar seu negócio quando lançou um plano de transformação em 2016. A Avon vendeu a operação na América do Norte para a firma de private equity Cerberus Capital Management em 2016, para reforçar o foco em negócios internacionais.